VENTO

WinWenders-Pina2

O filme tem uma estrutura parecida com uma frase composta somente de adjetivos. Adjetivos mais ou menos similares, mais ou menos destoantes. Ai devemos nos perguntar cade o verbos desta frase? O que equivaleria a nos perguntar cade o tempo: passado, presente e futuro ? Os verbos estão presentes entre os adjetivos, no momento da passagem de plano a outro. Ficando entre as coisas ficam invisiveis. Verbo invisível e Tempo invisível é igual a Vento: existe mas não o vemos, só ouvimos sua presença no contato com as coisas.

Karolina Ventslova

1 livro e 143 filmes

AtoMeninas1Esse filme é fruto do encontro de um livro e 143 filmes produzidos nos 4 cantos do  planeta. O livro é o “Mal estar na Civilização” escrito pelo fofo do Freud.

Este encontro se deu na cabeça do diretor, que da mesma forma que você, convive com uma montanha russa de conteúdos simbólicos e assombrações memóricas passeando ou se debatendo pelo corpo.

Alguns filmes foram vistos inúmeras vezes no decorrer de muitos anos. Pouco importa, o que sobra são sempre alguns trechos:  pequenos e singulares detalhes que ficam colados em nossos neurônios.  Eles vão se acumulando e ficam num certo estado de dormência / latência. Só despertam (ou não) pelo encontro de outras cargas simbólicas que não cessam de chegar.

Fazer um filme de fragmentos é antes de tudo uma intenção de encontros de “coisas”: tantas e tortas. É o desejo de ver  o que ocorre ENTRE as COISAS, sempre mais interessante que as COISAS em si.

Bon appetit, o diretor.